sexta-feira, 24 de abril de 2009

MINHA VIDA NUM REPENTE















Autor: Maria de Deus Oliveira


Entrei de cabeça no mundo
Quis correr atrás de tudo
Tinha pressa onde passava...
Cada vez eu percebia

Que as raízes que criava
Transformavam minha vida
Numa carga mais pesada.
Fui acumulando coisas
Quinquilharias ousadas

Mas aquilo não me provia
Não me valiam de nada
E todos os dias as perdia
Em minhas próprias passadas.
E aos pouco fui perdendo
Beleza, juventude e fé
Os complexos invadiam

O meu corpo de mulher.
Precisava mudar meu rumo
Meus anseios, meus caprichos
Pra ser feliz nesse mundo
É sábio desprover-se dos lixos.
E depois de tanto tempo
Vejo que simplesmente a vida
São emaranhados momentos
Que de repente se passa

Apenas tem uma ordem seguida

Que faz parte da jornada.
O que me resta enfim

Sempre fez parte de mim
Numa bolsa desgastada
De tanto bater a pálpebra
Vou carregar na partida
Gravada na minha alma
Metade da lágrima retida
No dia da minha chegada...
.

2 comentários:

Catarina Cunha disse...

Lindo poema! Adorei também este seu lado criador.

Homero disse...

Minha querida De Deus
Repentista...Poeta...Escritora...
Seja em que estilo for, você é minha "FAVORITA".
Essa é a vida de todos nós...num repente
Bjs
Homero

NOSSO LUTO! DIA DOS FINADOS!

Apesar das grandes perdas e que vivemos um doloroso luto, a vida continua e existem muitas pessoas que amamos e nos precisamos umas das out...