HOUVE UM TEMPO....


Houve um tempo em que eu não enxergava a beleza do arco-íris, do céu, das estrelas, do sol, em suma, de toda a natureza. Sentia ressentimentos pela vida. O tempo foi passando e eu me sentia uma inútil, pois não possuía fé em nada. Deus me deu um susto, balançou minhas estruturas, me fez perceber que eu era uma morta-viva, no dia em que eu abri um livro e li "Os anos enrugam a pele, mas renunciar ao entusiasmo faz enrugar a alma."(Albert Schweitzer). Eu mudei e se você se sente assim: Liberte-se e enterre no poço do esquecimento tudo que não lhe faz bem: as mágoas, os ressentimentos, as dores da alma, o remorso, a inveja, as discórdias, desafetos... simplesmente isso. Tenha uma vida sadia cheia de amor para dar e receber, com o coração e a alma leves dos fardos inúteis que não permitem que sejamos livres e felizes. Ligue a tomada da esperança/fé. Limite-se apenas em caminhar e seguir na direção que suas setas apontam porque elas irradiam luz para nos unirmos a harmonia essencial que abre as portas da felicidade, entrelaçadas por elos eternos que só o amor próprio, o amor ao próximo e as amizades podem proporcionar: a paz interior que nos faz ficar em estado de graça e humildemente agradecer ao Criador pelo maior regalo que ele proporcionou, A VIDA! Obrigada Deus pela minha vida, pela vida dos meus e dos meus amigos.


by Maria de Deus Oliveira
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

TRABALHO DE PESQUISA EM PEDAGOGIA

A IMPORTÂNCIA DAS ATIVIDADES LÚDICAS PARA CRIANÇAS DE 03 A 06 ANOS

MITOLOGIA GREGA: A HOMOSSEXUALIDADE