ALEGORIAS AMOROSAS

        Maria de Deus Oliveira

O carnaval iniciou no período de festas regidas pelo ano lunar no Cristianismo da Idade Média.  A palavra está relacionada com a idéia de "afastamento" dos prazeres da carne, marcado pela expressão "carne vale", que transformou-se no vocábulo "carnaval", entretanto, o entrudo hoje tem uma simbologia totalmente diferente, tornou-se motivo para exibição dos corpos cada vez mais nús e em vez de afastar as pessoas, une-as para desfrutar momentos de extremo prazer carnal, despertado pela intensa sensualidade da beleza humana exposta de forma provocante e que diante da sensibilidade do libido, misturado a bebidas alcóolicas,  e mais, ambientes propícios a liberalidade do id, homens e  mulheres entregam-se as paixões e desejos lascivos. Durante o periódo carnavalesco vive-se muitos impulsos regidos pelas emoções que envolve desde a atração física  até amores jamais esquecidos. Repetem-se casos de amor como o triângulo amoroso das fábulas inesquecíveis e sempre presentes na festa pagã, os personagens da fantasia de Pierrô, Colombina e Arlequim. Há muitos anos o intróito, a essência real carnavalesca, acabou. Naquela época sim era uma delícia brincar o carnaval, com o mela-mela, serpentinas, confetes, papangus, um  período que não havia malícia, mas só alegrias, uma brincadeira pura, sem agressões físicas, que formava concentrações de pessoas para festejar  essa grandiosa festa  colorida popular. 
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

TRABALHO DE PESQUISA EM PEDAGOGIA

A IMPORTÂNCIA DAS ATIVIDADES LÚDICAS PARA CRIANÇAS DE 03 A 06 ANOS

MITOLOGIA GREGA: A HOMOSSEXUALIDADE