sexta-feira, 24 de abril de 2009

MINHA VIDA NUM REPENTE















Autor: Maria de Deus Oliveira


Entrei de cabeça no mundo
Quis correr atrás de tudo
Tinha pressa onde passava...
Cada vez eu percebia

Que as raízes que criava
Transformavam minha vida
Numa carga mais pesada.
Fui acumulando coisas
Quinquilharias ousadas

Mas aquilo não me provia
Não me valiam de nada
E todos os dias as perdia
Em minhas próprias passadas.
E aos pouco fui perdendo
Beleza, juventude e fé
Os complexos invadiam

O meu corpo de mulher.
Precisava mudar meu rumo
Meus anseios, meus caprichos
Pra ser feliz nesse mundo
É sábio desprover-se dos lixos.
E depois de tanto tempo
Vejo que simplesmente a vida
São emaranhados momentos
Que de repente se passa

Apenas tem uma ordem seguida

Que faz parte da jornada.
O que me resta enfim

Sempre fez parte de mim
Numa bolsa desgastada
De tanto bater a pálpebra
Vou carregar na partida
Gravada na minha alma
Metade da lágrima retida
No dia da minha chegada...
.
Postar um comentário

www.alinhavandopalavras.blogspot.com

www.alinhavandopalavras.blogspot.com

Bem-Vindos!
Temas variados: trabalhos escolares orientados por mim e/ou assuntos que despertam a minha curiosidade, estudo e elaboro através de pesquisa. Trabalhos de outros pesquisadores. Em paralelo, a literatura, coisas que gosto de escrever, em diversos gêneros literários.

Nós os mais velhos somos os responsáveis por essa juventude que dominará no futuro nosso mundo, portanto, mãos a obra: Quem ama educa e nunca machuca!
Amar significa educar com liberdade vigiada até que o jovem possa dirigir sua vida com autonomia. É preciso aprender a valorizar o “SER”, porque as coisas se deterioram e a essência transcende. Infelizmente a vida é um enigma e nada podemos afirmar, porque se não houver vida após morte, morremos e nem saberemos quando isso acontecer, entretanto não custa nada ser bom, honesto, preservar a natureza para os nossos herdeiros, pois eles merecem viver num universo saudável como viveram nossos ancestrais.
Vivamos diariamente não como se fosse o último dia, mas com a alegria de poder viver mais um dia e conviver com as pessoas que amamos, oxigenar o corpo, ver a beleza que nos rodeia dia e noite e principalmente saborear momentos inéditos.
A vida não teria prazer se não houvesse sonhos, fantasias, crença na utopia, partilhar amor, amizade e o conhecimento que nos permite criar e apreender.
Venha participar deste espaço virtual, não como uma estrela cadente, mas como uma estrela ascendente que deseja pertencer a uma brilhante constelação de amizade e saberes que nos edifica como ser humano. Bem-vindo(a) a minha tela eclética em cultura, e você é quem decide o que deseja nos presentear.
Um abraço!
Maria de Deus Oliveira de Siqueira Alves.
http://www.ecleticoemcultura.blogspot.com/


Todas as ilustrações, exceto fotos de amigos e da minha família, (aliás, uma grande família) foram retirados do http://www.google.com.br/, pesquisa de imagens mais completa da web.

Respeite os Direitos Autorais

É preciso uma porção de amor em tudo que se produz!