COMO SANAR AS DORES DAS ALMAS

Autor: Maria de Deus Oliveira

Por que será que as dores da alma nunca cicatrizam? São iguais a machucados das mãos e dos pés ou em outro qualquer lugar que nas idas e vindas do nosso dia-a-dia sempre acertamos em cheio, e dói, e remói e aflora ainda mais forte. Temos que ficar muito atentos para evitar um choque sobre uma ferida aberta na estrutura física para não piorar a infecção porque muitas vezes de tão machucados é preciso haver uma amputação para que sare definitivamente aquela parte afetada, senão provocará falência múltipla no corpo e são raros os casos de pedidos de eutanásia porque sempre existe aquela esperança de sobreviver com alegria e permanecer ao lado das pessoas queridas..
Traumas corporais, cirurgias etc., nós esquecemos a dor à medida que tempo passa. Quando relembramos sabemos como descrevê-la, causa até mal estar só de pensar, no entanto não vivenciamos a intensidade da dor, mas as da alma é bem diferente, ela se acentua cada vez mais forte, violenta cada vez mais o nosso espírito e muitas vezes perdemos o controle e em muitos casos o grande sofrimento às vezes afeta de tal forma muitas pessoas que estas não conseguem suportar e se suicidam. Serão covardes ou muito corajosos, se existe dentro de nós um forte sentido de preservação de vida?
Quem pode acusar alguém de alguma coisa se a dor não é mensurável? Quem pode dizer quem sofre mais ou quem sofre menos, seja ela corpórea ou espiritual?
Os sentimentos são abstratos, não apalpamos, não pesamos, e apesar do seu peso não ser visto a olho nu, é o pior, o mais pesado fardo e o mais danoso para quem o carrega dores incuráveis na alma.
Para as dores da alma não existe remédio alopata, homeopata e nem curativo que sane. Só a sabedoria das palavras são capazes de curar as feridas abstratas através dos sentimentos abstratos mais bonitos que existem e que são capazes de operar o milagre da ressurreição da alma: amor, afeto, compreensão, saber ouvir, elevar auto-estima com muito carinho e demonstrar para aquele ser profundamente magoado que ele é imprescindível na vida de alguém porque o vazio provocado pela inutilidade do viver sem esperança de alcançar um dia a felicidade é a sentença prematura de morte.
Só somos felizes quando nos sentimos amados e amamos reciprocamente respeitando à individualidade e ritmo de cada um. Não nos cabe impor e nem tentar adaptar o outro ao nosso método de vida. A liberdade é a maior alegria do ser humano e que contagia a relação amorosa de viver momentos inesperados e surpreendentes e que dá a possibilidade de todos os dia viver a magia das novas descobertas dentro de nós, e do outro. Assuma o papel do maestro que tem o dom de harmonizar e administrar as divergências entre os instrumentos musicais para preparar um verdadeiro show. Faça da sua vida o maior espetáculo, prepare o mais belo arranjo, componha através das controvérsias da afinação, mas capriche na maravilhosa sinfonia do amor pelo seu viver!
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

TRABALHO DE PESQUISA EM PEDAGOGIA

A IMPORTÂNCIA DAS ATIVIDADES LÚDICAS PARA CRIANÇAS DE 03 A 06 ANOS

MITOLOGIA GREGA: A HOMOSSEXUALIDADE