sábado, 8 de novembro de 2008

Homenagem Póstuma a Gilberto Freire













Um sociólogo, com mestrado em Ciências Sociais (Universidade Colúmbia, Nova Iorque). Escritor, pernambucano, nascido em Recife em 15 de março e faleceu em 18 de julho de 1987. Conhecido mundialmente pelo seu livro, “Casa-grande e senzala”, Forma e Cor, e outros. Um defensor da liberdade de expressão e das amarras da escravidão vivida pelo ser humano menos privilegiado. Foi convidado para viver em outros países e disse que jamais sairia do seu bairro Apipucos e nunca abdicaria do clima tropical de Recife!
Admirável Gilberto Freire!
Senti-me muito honrada por ter composto este frevo de bloco em dezembro de 1987 e ter sido escolhido para prestar a homenagem póstuma a esse ícone da nossa literatura, escritor social, na passarela do carnaval pernambucano e interpretado pelo coral do Bloco Pierrô de São José, em 1988.
Evocação a Gilberto Freire
Em Apipucos...
Até o conhaque de pitanga
ficou sem sabor!
Dos postigos xadrez,
lenços tremulam,
de saudades e de dor!
Saudade do escritor universal,
saudade do poeta social,
Pernambucano,
fiel amante, do clima tropical!
Por isso eu sou,
um PIERRÔ apaixonado
Pela FORMA e pela COR!
Por isso eu sou,
um PIERRÔ enamorado
pelos sonhos do escritor!
Gilberto Freire,
O PIERRÔ DE SÃO JOSÉ,
lhe homenageia com emoção
Gilberto Freire,
é para você, A EVOCAÇÃO!
Sua vida e sua arte,
sempre nos encantou
Saber RECIFE ser
seu grande AMOR!
Autor: Maria de Deus Oliveira

Livro: Alinhavando Palavras – Sem pé, nem cabeça. I VOLUME
Postar um comentário

www.alinhavandopalavras.blogspot.com

Arquivos do blog

www.alinhavandopalavras.blogspot.com

Bem-Vindos!
Temas variados: trabalhos escolares orientados por mim e/ou assuntos que despertam a minha curiosidade, estudo e elaboro através de pesquisa. Trabalhos de outros pesquisadores. Em paralelo, a literatura, coisas que gosto de escrever, em diversos gêneros literários.

Nós os mais velhos somos os responsáveis por essa juventude que dominará no futuro nosso mundo, portanto, mãos a obra: Quem ama educa e nunca machuca!
Amar significa educar com liberdade vigiada até que o jovem possa dirigir sua vida com autonomia. É preciso aprender a valorizar o “SER”, porque as coisas se deterioram e a essência transcende. Infelizmente a vida é um enigma e nada podemos afirmar, porque se não houver vida após morte, morremos e nem saberemos quando isso acontecer, entretanto não custa nada ser bom, honesto, preservar a natureza para os nossos herdeiros, pois eles merecem viver num universo saudável como viveram nossos ancestrais.
Vivamos diariamente não como se fosse o último dia, mas com a alegria de poder viver mais um dia e conviver com as pessoas que amamos, oxigenar o corpo, ver a beleza que nos rodeia dia e noite e principalmente saborear momentos inéditos.
A vida não teria prazer se não houvesse sonhos, fantasias, crença na utopia, partilhar amor, amizade e o conhecimento que nos permite criar e apreender.
Venha participar deste espaço virtual, não como uma estrela cadente, mas como uma estrela ascendente que deseja pertencer a uma brilhante constelação de amizade e saberes que nos edifica como ser humano. Bem-vindo(a) a minha tela eclética em cultura, e você é quem decide o que deseja nos presentear.
Um abraço!
Maria de Deus Oliveira de Siqueira Alves.
http://www.ecleticoemcultura.blogspot.com/


Todas as ilustrações, exceto fotos de amigos e da minha família, (aliás, uma grande família) foram retirados do http://www.google.com.br/, pesquisa de imagens mais completa da web.

Respeite os Direitos Autorais

É preciso uma porção de amor em tudo que se produz!