Cuida de mim...Estou às traças....







Estou... Às baratas
ou às traças?
O que desejou, fazendo assim?
Sou um barco! Sem leme! Sem prumo! Sem rota!
À deriva!
Ai Deus! Quê vai ser de mim?
Estou... Num fogo cruzado,
ser orgulho, ou apenas, mendiga do amor?
É preciso, Lamber as feridas! Curar o flagelo!
Estancar minha dor!
Estou... Triste e sozinha.
Sem você, não há vida, não existe calor.
Por dentro, sou fera ferida,
amarga, sentida,
Sem paz! Sem luz! Sem sal! Sem sabor!
Autor: Maria de Deus Oliveira
Livro: Alinhavando Palavras. Sem pé, nem cabeça. I VOLUME
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

TRABALHO DE PESQUISA EM PEDAGOGIA

A IMPORTÂNCIA DAS ATIVIDADES LÚDICAS PARA CRIANÇAS DE 03 A 06 ANOS

MITOLOGIA GREGA: A HOMOSSEXUALIDADE