As Aparências






Autor: Maria de Deus Oliveira

Eu sempre digo aos meus filhos para valorizarem mais as pessoas dos que as coisas. É lamentável perder alguém pela omissão e na maioria das vezes quando ela se vai definitivamente ficamos sentido aquele vazio, uma dor tremenda e já não há mais tempo para voltar atrás.
As coisas estão sempre em primeiro lugar, mas elas são perecíveis. Para mantê-las, somos dragados, consumidos por uma luta cansativa para conseguir estabelecer essa troca contínua do supérfluo, que mantém apenas um mundo aparente, enquanto, as pessoas permanecem sempre ali com a sua bondade, virtudes, afeto e têm tanto para nos dar. Elas sim possuem sentimentos e podem nos dá aconchego, colo, amor, enfim, entrega total, onde temos a certeza que são nesses momentos em que vivenciamos a verdadeira felicidade, essa interação com os valores amorosos, o encontro com a maior riqueza da nossa vida, o amor.
As recordações, as lembranças de dias, horas ou mesmo de um minuto bem vivido, desabrocham sorrisos nos lábios e tornam o nosso pensamento leve como uma pluma e nos faz viajar para o mundo mágico de Alice, o País das Maravilhas.
Recordar coisas boas renova nossa alma e essa certeza de que existe alguém que sente prazer de estar em nossa companhia, que nos ratifica ser especial e que para ela fazemos tanta falta ao ponto de não conceber sentido para o seu viver sem nossa presença, pode crer, esse é o verdadeiro néctar da existência: “Amar e ser amado, compreender e ser compreendido, e é doando que se recebe, pela vida eterna. Amém!”
Nada mais terrível do que ser só. Naufrago da solidão. Morrer a mingua de afeto quando se está tão perto da pessoa que se ama. Eu não tenho vergonha de dizer a Deus e nem as pessoas, que eu os amo, porque amar, seja a pessoa quem for, é algo sublime e gratificante. Sempre digo aos meus amores: - Eu te amo. Todas as vezes que falo com eles eu repito isso várias vezes em nossas conversas, porque no dia em que eu partir para sempre, quero ter deixado isso registrado em suas memórias: EU TE AMO!
Temos que nos amar e nos cuidar, mas é preciso que as pessoas que amamos saibam e sintam-se amadas, importantes nas nossas vidas. Aliás, todos nós para sermos felizes, precisamos ter a certeza de que somos amados. Nada nessa vida vale mais do que ser insubstituível, a jóia preciosa e o grande bem-querer de alguém.
Pode-se comprar silicones, plásticas etc., para se ter um corpo perfeito, mas não se compra caráter, carinho, amor, ternura, compreensão, cumplicidade verdadeira, porque “nem tudo que brilha é ouro”, e nem tudo que está apenas na aparência dura para sempre. Um dia a máscara cai!
Aprenda dizer: Eu te amo. Você vai fazer muitas pessoas felizes e as mesmas ficarão preocupadas em transformá-la na mais feliz das pessoas...

Livro: Alinhavando Palavras. Sem pé, nem cabeça. I VOLUME
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

TRABALHO DE PESQUISA EM PEDAGOGIA

MITOLOGIA GREGA: A HOMOSSEXUALIDADE

A IMPORTÂNCIA DAS ATIVIDADES LÚDICAS PARA CRIANÇAS DE 03 A 06 ANOS