Aquele Olhar


Profundo, dentro do meu
Um olhar penetrante.
Com visgo, sem um pingo de juízo.
Invadindo os meus espaços
Muito mal intencionado,
Confiscando todo meu eu
Cobiçando cada pedaço!
Ah! Queria tanto aquele olhar!
Cheio de louca intenção
Um olhar fulminante
Que centelhas provocasse
Meu corpo inteiro inflamasse,
De amor em perdição!
Que eu mergulhasse inteira,
Submergisse em fogueira,
Fervendo de tanta paixão!
Ah! Queria tanto aquele olhar!
Um abrigo com sabor de perigo
Que enlouquece os amantes
Em minha pele impregnasse
E nunca mais desgrudasse
Quisesse me pertencer
A minha alma roubasse
Então não desejo mais nada...
Somente em teus olhos me ver...
 LIVRO ALINHAVANDO PALAVRAS - SEM PÉ NEM CABEÇA
by Maria de Deus Oliveira


1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

TRABALHO DE PESQUISA EM PEDAGOGIA

MITOLOGIA GREGA: A HOMOSSEXUALIDADE

A IMPORTÂNCIA DAS ATIVIDADES LÚDICAS PARA CRIANÇAS DE 03 A 06 ANOS